Portal da Cidade Registro

Bananicultura

Embrapa testa bananas do Brasil na Colômbia para prevenir doença

O objetivo é fazer testes para detectar a presença do fungo Fusarium. Doença preocupa produtores do Vale do Ribeira

Publicado em 28/07/2022 às 14:32

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) está testando, na Colômbia, mudas de banana do Brasil que podem ser resistentes à doença causada por fungo que preocupa os bananicultores do Vale do Ribeira. O objetivo é fazer testes para detectar a presença do fungo Fusarium, responsável pela a doença mais destrutiva da cultura no planeta. Esta pesquisa atende pedido da deputada federal Rosana Valle (PL), que destinou R$ 4 milhões, em emenda de bancada, para ajudar os bananicultores.

Além das variedades de banana Princesa (maçã) e Platina (prata), foram enviados também outros tipos melhorados de bananeira, parentes ancestrais das variedades atuais, que são utilizados em cruzamentos visando desenvolver novas cultivares comerciais da fruta. 

Segundo a Embrapa, o material foi plantado na estação quarentenária do Instituto Agropecuário Colombiano (ICA), onde vai permanecer por até seis meses para confirmar a ausência de fungos, bactérias, vírus e nematóides existentes no país de origem. Depois dessa quarentena, vão seguir para teste em casa de vegetação para verificar a possível resistência ao temido fungo.

O pesquisador Edson Perito Amorim, líder do Programa de Melhoramento Genético de Banana e Plátano da Embrapa, explicou que, a Colômbia é um grande exportador de banana tipo maçã, em especial para os Estados Unidos. “Assim vamos testar nossas bananas para este e outros mercados”.

“Se conseguirmos comprovar que as bananas produzidas no Vale do Ribeira são resistentes ao fungo poderemos ganhar novos mercados no mundo e assim aumentar a produção e gerar mais empregos e renda para toda a população do Ribeira”, disse Rosana Valle, lembrando ainda que a comprovação da resistência das frutas ao fungo pode ajudar os produtores a se reprogramarem para evitar prejuízos no futuro.

A deputada ficou satisfeita com a rápida utilização dos recursos que liberou. “Conheço de perto a bananicultura do Vale, que tem grande influência na economia regional. A banana é um alimento acessível e está na merenda escolar das crianças brasileiras. Daí a importância de ajudar estes agricultores”, disse. O representante dos plantadores, Silvio Romão, da Associação dos Bananicultores do Vale do Ribeira (Abavar), considerou a ação da deputada com “um momento histórico” para o Vale do Ribeira.

Perigo do fungo

O fungo pode entrar por diferentes vias e contaminar as bananas: solo contaminado carregado em sapatos, ferramentas, mudas de bananeira (visivelmente sadias, mas infectadas) e plantas ornamentais, que podem também ser hospedeiras.

As pesquisas já desenvolvidas pela Embrapa nas áreas de melhoramento genético e de manejo da doença em relação às raças existentes no Brasil são um marco referencial para o combate de um eventual surto da doença no Brasil. A Embrapa monitora as populações do patógeno existentes no território brasileiro, o que auxiliará na seleção e na recomendação de variedades e até numa detecção oportuna de um foco.

A doença que afeta plantações de bananas já ocorre na Austrália, Filipinas, Malásia, Indonésia, Taiwan, China, Omã, Jordânia, Moçambique, Colômbia e Peru, onde o foco foi identificado em 2020. A presença da praga em dois países vizinhos, com fortes laços de amizade e comerciais, deixa o Brasil em permanente estado de alerta.


Fonte:

Receba as notícias de Registro no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário